Salvador ganha museu sobre a música baiana e sua influência no país

Cidade da Música da Bahia é interativo e tem tecnologia de ponta Por Denise Griesinger – Repórter da Agência Brasil* – Brasília Após mais de três anos em obras de recuperação, o Casarão dos Azulejos Azuis, na região do Comércio, em Salvador, abriga agora o mais novo museu da capital soteropolitana: a Cidade da Música … Leia Mais


Mais de 14 mil pessoas são presas em Operação Maria da Penha

Ao todo, 127 mil mulheres foram atendidas O Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) divulgou hoje (24) números da Operação Maria da Penha, lançada em agosto com o objetivo de enfrentar a violência doméstica contra a mulher e aprimorar o sistema de proteção às vítimas. Entre 20 de agosto e 20 de setembro, mais de 14 mil pessoas foram presas … Leia Mais


Surdos defendem Libras como segundo idioma oficial do Brasil

Surdos defendem Libras como segundo idioma oficial do Brasil O presidente da Associação dos Surdos de São Paulo, Jorge Rodrigues, disse que a Língua Brasileira de Sinais (Libras), como qualquer outra, “tem um sistema todo, com regras gramaticais, com sintaxe, tudo”. A afirmação foi feita por ocasião do Dia Internacional da Língua de Sinais, celebrado … Leia Mais


Decreto regulamenta parcelamento de outorgas de radiodifusão

Previsão consta em lei aprovada em 2020 pelo Congresso Nacional O presidente Jair Bolsonaro assinou nesta quarta-feira (22) um decreto que regulamenta o parcelamento mensal do valor das outorgas de radiodifusão devido pelas empresas. O texto deve ser publicado no Diário Oficial da União (DOU).  Segundo o governo, a medida abrange tanto as novas outorgas … Leia Mais


Operação da PF investiga fraudes no Ministério da Saúde

Estão sendo cumpridos 15 mandados em seis estados e no DF A Polícia Federal deflagrou, hoje (21), uma operação para apurar fraudes na aquisição de medicamentos de alto custo por força de decisão judicial pelo Ministério da Saúde. A estimativa é que as fraudes, com pagamento antecipado sem o recebimento dos medicamentos, tenham causado prejuízo … Leia Mais


Brasil está em 57º lugar no ranking mundial de inovação


Produtividade no trabalho e gastos com software impulsionaram alta

Em ranking divulgado hoje (20) pela Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI), o Brasil ocupa a 57ª posição no Índice Global de Inovação (IGI) entre 132 países. O país subiu cinco posições em relação ao ano passado, mas está 11 posições atrás de sua melhor colocação, 47º, alcançada em 2011. A classificação começou a ser publicada anualmente em 2007.

As principais fraquezas do país apontadas no ranking são Formação bruta de capital, Facilidade para abrir uma empresa, Facilidade para obtenção de crédito e Taxa tarifária aplicada. Os maiores avanços do Brasil em relação aos dados de 2020 se deram nos indicadores de Crescimento da produtividade no trabalho e de Gastos totais com software.

Na avaliação da Confederação Nacional da Indústria (CNI), a colocação brasileira é incompatível com o fato de o país ser a 12ª maior economia do planeta, em 2020, e com a realidade de ter um setor empresarial sofisticado. Para o presidente da entidade, Robson Andrade, os investimentos em ciência, tecnologia e inovação são fundamentais para a competitividade do país no cenário internacional.

“Uma estratégia nacional ambiciosa, que priorize o desenvolvimento científico, tecnológico e a inovação para o fortalecimento da indústria, tornará a economia mais dinâmica, promovendo maior equidade e bem-estar social”, afirmou.

O IGI é um dos principais instrumentos de referência para dirigentes empresariais, formuladores de políticas públicas e aos que buscam conhecimentos sobre a inovação no mundo. As diferentes métricas do ranking podem ser usadas para monitorar o desempenho de um país, comparando-o com economias da mesma região ou mesmo grupo de renda.

Por Agência Brasil – Brasília

Edição: Pedro Ivo de Oliveira


Presidente viaja aos Estados Unidos para assembleia da ONU


Avião com comitiva partiu da Base Aérea de Brasília por volta das 9h30

O presidente Jair Bolsonaro viajou neste domingo (19) para Nova York, nos Estados Unidos, onde participa da abertura da sessão de debates da 76ª Assembleia Geral das Nações Unidas. O avião com a comitiva presidencial partiu da Base Aérea de Brasília por volta das 9h30 e a chegada está prevista para as 16h30.

Amanhã (20), Bolsonaro tem encontro confirmado com o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, e, à noite, participa de uma recepção oferecida pela representação permanente do Brasil junto às Nações Unidas.

Na terça-feira (21), começam os pronunciamentos dos chefes de Estado e de governo na Assembleia Geral, quando estão previstas mais de 100 intervenções. O evento começou no último dia 14 e, desde então, estão acontecendo reuniões, conferências e encontros paralelos. O tema desde ano é “Construindo resiliência por meio da esperança – para se recuperar da Covid-19, reconstruir de forma sustentável, responder às necessidades do planeta, respeitar os direitos das pessoas e revitalizar as Nações Unidas”.

Tradicionalmente, cabe ao presidente do Brasil fazer o discurso de abertura da sessão de debates, seguido do presidente dos Estados Unidos. No ano passado, devido à pandemia de covid-19, o evento foi virtual. Neste ano, o modelo adotado é o híbrido, com declarações presenciais e outras por vídeo.

Em seu discurso, Bolsonaro deve tratar do combate à pandemia e de questões ambientais. A previsão é que o presidente embarque de volta ao Brasil na própria terça-feira.

Por Andreia Verdélio – Repórter da Agência Brasil – Brasília

Edição: Paula Laboissière


Balanço Social destaca investimentos da Bracell


Publicação, lançada nesta quinta-feira, 16, destaca investimentos da empresa na BA e em SP nas áreas de educação, empoderamento e estar bem

A estudante Bruna (à dir.) e sua família, que vivem na comunidade do Tombador, em Alagoinhas / Foto: Acervo Bracell

Investir de modo estruturado no desenvolvimento das comunidades é mesmo algo capaz de transformar a realidade de milhares de famílias. Exemplos disso estão no Balanço Social lançado pela Bracell nesta quinta-feira, 16. Produtora de celulose solúvel e kraft com operações na Bahia e em São Paulo, a empresa destinou, no ano passado, R$ 2,6 milhões em 20 projetos nas áreas de educação, empoderamento e estar bem, alcançando diretamente mais de 116 mil pessoas. Os dados não incluem os aportes ao Poder Público de mais de R$ 14 milhões para ações preventivas e de tratamento da Covid-19, especialmente nos municípios onde a empresa mantém operações florestais e industriais nos dois estados.

Mais do que números sobre os investimentos sociais da Bracell, a publicação reúne relatos de representantes das instituições de ensino, grupos produtivos e comunidades apoiados pela empresa. É o caso da família da estudante Bruna Naiure Souza, da comunidade do Tombador, em Alagoinhas, na Bahia. Aluna da Escola Família Agrícola da Região de Alagoinhas (Efara), Bruna e sua família receberam um projeto experimental do sistema agroflorestal que ela conheceu na instituição, graças às iniciativas de empoderamento das comunidades vizinhas às suas operações. “Fiquei admirada com o tanto de coisa que se consegue produzir em apenas um espaço. Com o SAF, a gente não compra o alimento, a gente produz, consome e comercializa”, diz a adolescente.

Sabrina de Branco, gerente sênior de Relações Corporativas, Comunicação e Sustentabilidade da Bracell, destaca que a empresa precisou se superar e manter a determinação em seguir adiante, apesar das incertezas de um período pandêmico, para que essas ações continuassem a ajudar as pessoas. “Neste momento em que o mundo ainda sente os impactos da pandemia de Covid-19, seguimos firmes com o compromisso de contribuir para a redução da vulnerabilidade econômica e social do máximo de pessoas possível”, diz Sabrina na mensagem de apresentação do balanço.

Educação

Pilar central dentro das ações da empresa, a área de educação beneficiou mais de 49 mil pessoas com quatro projetos na Bahia: Núcleo de Educação Ambiental, Ecomunidade, Troca de Saberes e Educação Continuada. Este último responsável por capacitar professores e gestores escolares da zona rural, como a professora Rita de Cássia, que enfrentou, junto com os demais docentes, a pandemia para continuar levando conhecimento para os estudantes que passaram a ter a formação educacional em casa.

Segundo Sabrina, historicamente, a educação é área prioritária para os investimentos sociais da Bracell, mas a urgência provocada pela pandemia exigiu também o direcionamento para a prevenção e tratamento da doença, envolvendo os colaboradores da empresa em campanhas de voluntariado que permitiram a arrecadação e doação de 223 toneladas de alimentos. “Como sempre, continuamos investindo em ‘ensinar a pescar’, mas entendemos a urgente necessidade de ‘dar o peixe’ quando a fome não pôde esperar. Por isso, estimulamos ações voluntárias entre nossos colaboradores e suas famílias, nossos parceiros e prestadores de serviço com o objetivo de arrecadar alimentos para as famílias que tiveram sua situação de vulnerabilidade social agravada pela pandemia e também o Hospital Amaral de Carvalho (HAC), em Jaú (SP)”, destaca.

Combate à Covid-19

A executiva relembra que os investimentos da Bracell no combate à Covid-19 incluíram a aquisição e doação a unidades de saúde na Bahia e em São Paulo, de 24 respiradores, 352 acessórios para respiradores, 12 leitos de UTI, 398.000 máscaras descartáveis, 47.500 luvas cirúrgicas, 30.250 óculos de proteção, 40.000 aventais descartáveis, 180 tablets e acessórios, um equipamento para acelerar a testagem de Covid-19 e mais de 1.900 litros de água sanitária.

A versão digital do Balanço Social 2020 da Bracell está disponível no site https://bit.ly/balanco-social2020.

Bracell

 

A empresa é uma das maiores produtoras de celulose solúvel e celulose especial do mundo, com duas principais operações no Brasil, sendo uma em Camaçari, na Bahia, e outra em Lençóis Paulista, em São Paulo. Além de suas operações no Brasil, a Bracell possui um escritório administrativo em Cingapura e escritórios de vendas na Ásia, Europa e Estados Unidos.

Sobre a RGE

 

A RGE Pte Ltd gerencia um grupo de empresas com operações globais de manufatura baseadas em recursos naturais. As atividades vão desde o desenvolvimento e a colheita de recursos sustentáveis, até a criação de diversos produtos com valor agregado para o mercado global. O compromisso do grupo RGE com o desenvolvimento sustentável é a base de suas operações. Todos os esforços estão voltados para o que é bom para a comunidade, bom para o país, bom para o clima, bom para o cliente e bom para a empresa. A RGE foi fundada em 1973 e seus ativos atualmente ultrapassam US$ 20 bilhões. Com mais de 60.000 funcionários, o grupo tem operações na Indonésia, China, Brasil, Espanha e Canadá, e continua expandido para envolver novos mercados e comunidades. www.rgei.com.


Conselho muda regras de financiamento do programa Casa Verde e Amarela


Medidas elevam os limites dos valores dos imóveis financiados

Por Alex Rodrigues – Repórter da Agência Brasil – Brasília

O Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) aprovou, hoje (13), por unanimidade, mudanças nas regras de financiamento imobiliário do programa Casa Verde e Amarela.

Apresentadas pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), as propostas aprovadas elevam os limites dos valores dos imóveis financiados com recursos do fundo; estabelecem as taxas de juros cobradas das famílias que ganham até R$ 2 mil mensais e alteram o cálculo do subsídio disponibilizado às famílias de baixa renda

Os valores máximos dos imóveis aptos a serem financiados serão reajustados em 10%, com exceção dos construídos em cidades com população entre 50 mil e 100 mil habitantes, onde a tabela será reajustada em 15%.

Ao detalhar a proposta, o representante do MDR no conselho, Daniel de Oliveira Duarte Ferreira disse que o reajuste dos limites buscam estimular a oferta de novas unidades habitacionais. “Propomos um reajuste um pouco maior [de 15%] nos municípios de 50 mil a 100 mil habitantes porque nesse recorte populacional a grande maioria das contratações vinha batendo nos limites da tabela”, explicou Ferreira.

“Entendemos que este é um reajuste equilibrado, que não vai onerar o fundo em medida desnecessária e que vai fomentar a oferta de novas unidades habitacionais. Esperamos que os lançamentos aumentem a partir da entrada em vigor da nova tabela”, acrescentou o conselheiro.

Outra mudança aprovada foi o fim da diferenciação das taxas de juros cobradas das famílias com renda mensal de até R$ 2 mil, com base em características do imóvel que seria adquirido por meio do Casa Verde e Amarela com recursos do FGTS. Com isso, todos os mutuários inclusos no chamado Grupo 1 pagarão 4,75% de taxa de juros, se residirem nas regiões Norte ou Nordeste, e 5% caso morem nas regiões Centro-Oeste, Sudeste ou Sul.

“Estamos harmonizando as taxas de juros finais para as famílias que têm renda de até R$ 2 mil. Antes, tínhamos uma diferenciação a depender do tipo de imóvel que a família ia adquirir. Agora, isso deixa de ser um critério e todas as famílias do Grupo 1 do programa têm as mesmas taxas de juros”, disse Ferreira, lembrando que trabalhadores que têm conta vinculada ao FGTS há mais de três anos têm acesso a taxas de juros ainda menores, pois recebe meio por cento de desconto.

A terceira mudança nas condições operacionais de financiamento do FGTS estabelece uma nova metodologia de cálculo do chamado desconto complemento, que é o mecanismo que permite o pagamento, com recursos do fundo, de parte do valor da compra ou construção do imóvel, como forma de barateá-lo, reduzindo o valor do financiamento.

“A metodologia hoje em vigor leva em conta a renda familiar mensal bruta e o recorte territorial e populacional [onde vive a família interessada em obter o financiamento]. Estamos acrescentando três novos critérios qualitativos [aos dois primeiros]”, explicou Ferreira.

“[O primeiro novo critério é] a capacidade de financiamento da família. Ou seja, as famílias com menor capacidade de financiamento receberão uma pontuação que permitirá ampliar o valor do desconto complemento, facilitando assim o acesso ao crédito. O segundo critério é o comprometimento de despesa da família em relação à renda média da unidade federativa. Então, quanto maior o comprometimento das famílias com as despesas, maximizaremos o desconto, o que vai facilitar o acesso ao crédito e mitigar diferenças regionais. E, por fim, quanto maior a área útil do imóvel, maior será a pontuação da família que vai adquirir o desconto complemento”, disse Ferreira.

Os detalhes técnicos das propostas aprovadas hoje serão regulamentados pelo Ministério do Desenvolvimento Regional.

Edição: Fernando Fraga


Serviços digitalizados geram mais de R$ 3 bilhões em economia


Secretário de Desburocratização divulgou dado no Brasil em Pauta

Por Agência Brasil – Brasília

A digitalização dos serviços públicos rendeu uma economia de R$ 3,1 bilhões. Desse total, R$ 2,3 bilhões foram economizados pelo próprio cidadão e mais R$ 800 milhões pelo governo. O balanço foi feito pelo secretário de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, Caio Mario Paes de Andrade, em entrevista ao programa Brasil em Pauta deste domingo (12). 

“Isso representa o combate à burocracia, melhoria da administração pública e transformação digital do estado”, disse. Segundo ele foram mais de 3 mil serviços digitalizados. A meta é chegar a 2022 com os 4 mil serviços públicos disponíveis digitalizados.

De acordo com o secretário, todos os serviços estão sendo digitalizados e migrados para a plataforma .gov que, em dois anos, tem 113 milhões de usuários cadastrados. Cerca de 126 portais e 190 endereços eletrônicos foram migrados para o .gov que, segundo o secretário, é “uma plataforma de relacionamento entre o estado e o cidadão”.

Entre as vantagens do portal, o secretário cita o login único, que facilita a vida do cidadão já que ele não precisa ter cadastros em vários sites e a facilidade de encontrar diversos serviços como CPF, carteira de trabalho e carteira de motorista, todos em formato digital.

O secretário falou sobre como funciona o processo de digitalização dos serviços e sobre os novos desafios desse processo no Brasil.

Brasil em Pauta vai ao ar às 19h30 de hoje (12) na TV Brasil.

Clique aqui para saber como sintonizar a programação da TV Brasil.