Relatório falsamente atribuído ao TCU citado por Bolsonaro foi alterado, diz auditor


No dia 7 de junho, Bolsonaro divulgou para apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada que um suposto “estudo paralelo” do TCU concluiu que 50% das mortes por Covid em 2020 não teriam sido causadas pela doença

Foto: Divulgação/TCU

Por: Metro1

O auditor do Tribunal de Contas da União (TCU) Alexandre Figueiredo Costa Silva Marques, investigado por produzir um documento que levantava suspeitas de superdimensionamento no número de mortes por Covid-19 no Brasil citado em junho pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), afirmou em depoimento que o material citado pelo presidente foi alterado. A informação é do jornal O Globo.

O relato do servidor foi prestado no âmbito de um processo disciplinar aberto contra ele que pode resultar no seu afastamento do cargo efetivo que ocupa e até na sua demissão. Em razão do episódio, ele também foi afastado de suas funções.

No dia 7 de junho, Bolsonaro divulgou para apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada que um suposto “estudo paralelo” do TCU concluiu que 50% das mortes por Covid em 2020 não teriam sido causadas pela doença.