Policiais são suspeitos de propina para não prender dono de loja de relógios de luxo em SP


Policiais são suspeitos de propina para não prender dono de loja de relógios de luxo em SP

Foto: Reprodução

Promotores de Justiça do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) e policiais da Corregedoria da Polícia Civil cumpriram, na manhã desta sexta-feira (3), oito mandados de busca e apreensão em operação que apura o envolvimento de policiais civis de Osasco em esquema de corrupção.

 

De acordo com informações do portal G1, os alvos são suspeitos de terem recebido R$ 170 mil para não autuar e prender o dono de uma loja de relógios do Shopping Cidade Jardim, na qual, em janeiro deste ano, 81 relógios de luxo foram apreendidos.

 

Toda a negociação, intermediada por advogados, ficou registrada em trocas de mensagens.

 

As buscas são feitas na casa dos policiais, na delegacia onde eles trabalham e em endereços de advogados suspeitos de intermediar o pagamento de propina.

 

A investigação é um desdobramento da Operação Diamante de Sangue, realizada no começo do ano.